TEKO HAXY - SER IMPERFEITA
hover_big.png

TEKO HAXY - SER IMPERFEITA

RS, 2018, 45', DOC/EXPERIMENTAL
Patrícia Ferreira Pará Yxapy & Sophia Pinheiro

LONGA

Um encontro íntimo entre duas mulheres que se filmam. Diante da consciência da imperfeição do ser, entram em conflitos e se criam material e espiritualmente. Nesse processo, se descobrem iguais e diferentes na justeza de suas imagens.

SINOPSE

DIREÇÃO

Patrícia Ferreira Pará Yxapy & Sophia Pinheiro

Patrícia Ferreira Pará Yxapy & Sophia Pinheiro

Patrícia Ferreira Pará Yxapy é uma professora e realizadora audiovisual indígena da etnia Mbyá-Guarani. Mora na Aldeia Ko’enju, em São Miguel das Missões/RS, onde leciona desde 2006. Em 2007, cofundou o Coletivo Mbyá-Guarani de Cinema, atualmente está finalizando seu primeiro longa autoral e circula em festivais de cinema com o filme TEKO HAXY – SER IMPERFEITA, codirigido com Sophia Pinheiro.

Sophia Pinheiro é doutoranda em Cinema e Audiovisual do PPGCine - Programa de Pós-graduação da UFF; bacharel em Artes Visuais e mestre em Antropologia Social pela UFG. É pensadora visual, interessada nas poéticas e políticas visuais, etnografia das ideias, do corpo e marcadores da diferença, principalmente em contextos étnicos, de gênero e sexualidade. Expôs seus trabalhos artísticos no Brasil e no exterior. É codiretora com Patrícia Ferreira Pará Yxapy do filme TEKO HAXY - ser imperfeita, professora da Academia Internacional de Cinema (RJ), foi artista residente do programa Formação e Deformação - Emergência e Resistência 2019, da Escola de Artes Visuais do Parque Lage (RJ) e participou do projeto Nhemongueta Kunhã Mbaraete, trocas de vídeo-cartas com Graci Guarani, Michele Kaiowá e Patrícia Ferreira, comissionada pelo Instituto Moreira Salles durante a pandemia de Covid-19.

19/11/20 00:00

CRÉDITOS

PRODUÇÃO

Henrique Borela

ROTEIRO

Patrícia Ferreira e Sophia Pinheiro

DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA

Patrícia Ferreira e Sophia Pinheiro

MONTAGEM

Tita

SOM

Belém de Oliveira